25 de janeiro de 2015

7 motivos que me fazem querer Jornalismo


Olá queridos(as)
Após ver que meu nome não estava na lista de aprovados da UFRGS e que minha nota do ENEM não foi suficiente pro curso de Jornalismo nessa mesma universidade, tentei encontrar outros cursos que sejam do meu interesse, que talvez substituíssem Jornalismo, mas não foi fácil, desde que descobri o que era faculdade e que nutrição não é a minha praia, eu quero Jornalismo. Mas porque? Ter um blog não pode ser apenas uma simples coincidência.

É. Porque quando eu criei meu blog há uns 5 anos eu nem imaginava que poderia ganhar metade do que já ganhei, nem metade do que eu aprendi. Depois que você cria um blog sem motivos, isso torna algo viciante, que você não vive sem, então começa a pesquisar, pesquisar e pesquisar... Foram nessas muitas pesquisas aleatórias que descobri que ter um blog pode ajudar muito no curso de Jornalismo.

Juro que não sabia que existia faculdade pra "ser" Jornalista, depois de ler sobre o assunto, percebi que afinal de contas, é isso que eu sou. Lá com os meus treze ou quatorze anos eu pesquisava, ia atrás, e digitava minhas ideias aqui no blog, no twitter, no tumblr, seja o que for de rede social, eu tinha. Eu era/sou uma verdadeira jornalista. 

Então, separei alguns dos poucos motivos pelos quais eu quero jornalismo, já que pelo dinheiro não pode ser. Vê aí:


1 - Posso demonstrar minhas ideias
Ok, eu sei, se eu for trabalhar na TV, não posso falar o que me vier na cabeça. No Jornal da TV deve-se seguir um roteiro, falar o que é mandado, é por isso que quero escrever, ser colunista em alguma revista/jornal, demonstrar minhas ideias, minhas opiniões, etc. Não que eu seja uma pessoa com ideias e opiniões super diferentes e dignas de serem publicadas, mas eu realmente quero e posso melhorar muito.


2 - Ser poliglota 
Quando meu professor de matemática disse que sou poliglota eu fiz uma careta e exclamei um "quê?!", pensando que estava sendo xingada de crocodilo, então ele me explicou que poliglota é aquela pessoa que fala mais que uma língua. Realmente, eu tenho muita vontade de ser fluente no Árabe, Inglês, Francês, Latino, Mandarim, seja o que for, eu quero aprender todas as línguas que existirem nesse mundo, seja dos vivos ou dos não-vivos (assim como no filme Assim na terra como no inferno), se pintar a oportunidade, tô dentro.


3 - Viajar o mundo
Eu disse que quero ser colunista em alguma revista/jornal, mas não recusaria se me mandassem para o outro lado do mundo gravar alguma reportagem. Pode ser no meio da guerra, ou pros Jogos de Inverno, ou pro casamento do príncipe Harry, seja o que for, se eu for fluente na língua de determinado país, eu topo!


4 - Distribuir conhecimento
Como quero escrever em revistas e jornais, leio bastante ambos, pelo menos aqui na minha região as reportagens publicadas tem matérias escritas que eu jamais escreveria. Não desmerecendo o trabalho do pessoal, mas em relação aos jornais de outras cidades que já li, os daqui é muito fraco, dá sono, como se a pessoa que escrevesse aquilo só escreveu pra poder receber o salário no fim do mês. Tenho vontade de escrever reportagens que dê ânimo às pessoas, que influencie a leitura, o interesse pela notícia e a busca pelo conhecimento.

Do filme Histórias Cruzadas

5 - Ouvir histórias
Adoro ouvir histórias e sou muito curiosa. Onde aconteceu? Quando? Como? Quem estava por perto? Qual sua opinião sobre isso? Será que já acabou? Será que é só isso? São perguntas que eu sempre faço quando estou a procura de alguma informação. Pareço uma criança perguntando "Por que?" toda hora, porque eu sei que sempre dá pra ir um pouco mais a fundo, e como uma boa Jornalista, nunca estou satisfeita. É divertido, eu adoro! 


6 - Estar por dentro das novidades
Jornalista precisa estar sempre por dentro do que esta acontecendo no mundo, eu faria isso com muito prazer, principalmente se o assunto fosse moda. Imagine só! Eu nos bastidores dos eventos de moda gravando tudo que acontece por trás das passarelas! Super me imagino fazendo isso ♥
7 - Poder usar a criatividade
Eu adoro e tenho muitas frescuras em fotografias, sou muito perfeccionista quando vou fotografar algum objeto com meu humilde celular ou a câmera digital da minha mãe, e eu percebi que em jornalismo também tem isso. Algumas imagens (como a de cima) são tão perfeitas que a situação parece real. Cada detalhe, dos objetos espalhados, a TV ligada, o ambiente escolhido, o modelo... Baah, tudo no geral. Me imagino muito fazendo um trabalho desses.

Bom, esses foram os motivos que me vieram na cabeça em um primeiro instante. Espero que essa postagem tenha sido convincente, mas mesmo assim, acredito que muitas pessoas irão fazer cara feia quando eu disser que quero jornalismo. Não é uma profissão muito valorizada no Brasil, isso é fato.

Mas agora que dei meus motivos, quero saber o de vocês. Que curso vocês fazem ou pretendem fazer? E por quê?

22 de janeiro de 2015

5 dicas de beleza que toda mulher deveria saber


Oi gente!
A postagem de hoje é muito útil para todas as vaidosas de plantão. Em Porto Alegre ouvi muitas pessoas dizerem que eu sou vaidosa, e eu sou, confesso, mas a maioria das coisas que indicam isso são apenas consequência de alguns cuidados diários ou semanais que a blogosfera me ensinou a ter. Então, hoje venho repassar para vocês 5 segredos que aprendi nesses cinco anos de blog. Vê aí:


1 - Lixe as unhas. 
Se você quer ter unhas compridas e fortes, além de uma alimentação rica em proteínas, é muito importante lixar pelo menos uma vez por semana com lixa própria para as unhas. Não estou falando pra lixar até deixar ela curtinha, porque é claro que assim você não vai notar diferença nenhuma, mas lixar um pouquinho que seja faz com que a unha fique mais grossa, e assim, não seja tão fácil de quebrar. 


2 - Lave o cabelo com cerveja.
Sim, acredite se quiser, esse hábito faz toda a diferença. Aqui em casa não entra bebida alcoólica, mas para isso podemos abrir uma exceção. A cevada presente na cerveja provoca uma limpeza profunda no cabelo que nenhum outro shampoo de US$100,00 pode fazer. Eu coloco um pouquinho de cerveja em um copo de plástico e misturo com a quantidade de shampoo que estou acostumada, depois massageio o cabelo bem, deixo agir por alguns instantes e uso o condicionador normalmente. O brilho do cabelo depois disso é multiplicado por mil e fica super mais sedoso do que estamos acostumadas. 


3 - Água fria faz bem pra pele.
Sempre gostei de tomar banho com água fria, me sinto bem melhor depois de um banho gelado, mas só mais tarde fui descobrir as vantagens que esse hábito proporciona à minha pele, que é principalmente deixar mais macia e com um brilho natural sem o uso de hidratante corporal (coisa que eu não uso. Tá vendo como não sou tão vaidosa assim?). A água fria também colabora no sistema imunológico e na sensação de bem estar.


4 - Óleo de amêndoas antes de descolorir os pelos.
Todo mundo sabe que a água oxigenada acaba com a pele. Nenhum profissional da beleza recomenda isso, mas mesmo assim, milhares de garotas fazem isso pelo menos três vezes por mês para esconder aqueles pelos indesejáveis que crescem nos braços, pernas e barriga. Por isso, é muito importante passar uma quantidade generosa de óleo de amêndoas na área que vai receber a água oxigenada pelo menos 30 minutos antes, ou o tempo suficiente para que a pele absorva o óleo. Depois de aplicada a água oxigenada, faça uma esfoliação extra, até duas ou três, para retirar qualquer resíduo que seja desse produto que é tão inimigo da pele.


5 - Pressione e esfregue os lábios até ficarem vermelhos.
Vai bater uma selfie com a galera e esqueceu o batom? Não se preocupe, essa dica que vou passar dispensa o uso de batom. Pressione os lábios um contra o outro e faça movimento de vai e vem algumas vezes até você sentir que esta queimando. Pronto, lábios vermelho natural como se você tivesse acabado de beijar sem parar.

E aí, o que acharam das dicas? Muita coisa estranha ou tá tranquilo? Conta pra mim!!
Beijoss

19 de janeiro de 2015

Diários de viagem: Visita à Gramado, últimos dias no Sul










Oi gente! 
É com muito pesar que informo que o sul agora é passado pra mim. Minhas férias acabaram, não passei na UFRGS e estou de volta à Aparecida do Taboado, não posso dizer que estou feliz, mas isso não é assunto pra esse post. Vamos falar de coisas boas, coisas que ficaram para trás e que deixaram lembranças maravilhosas. 

Nos meus últimos dias fomos minha irmã e eu à Gramado. Como vocês sabem, eu sou a pessoa mais sortuda do mundo, só que ao contrário. Minha irmã não podia caminhar muito, nem fazer muito esforço, pra nossa sorte, tudo em Gramado é perto, em cada esquina encontra-se um ponto turístico, logo, conseguimos aproveitar o passeio antes que tudo se tornasse neblina e chuva e vento e minha conformação criando vida dentro de mim.





Gramado cheira à plantas verdes, frio bom, chocolate quente, chocolate com menta, cerveja gaúcha, suco de uva e um toque vintage que é tuuuudo de bom. Foi muito gostoso tirar fotos lá, todo lugar onde passávamos eu queria tirar foto porque é muito lindo, limpo, bem cuidado, aconchegante e combinava com a minha roupa, hahahaha.

Demos muitas risada porque a minha saia por ser branca, refletia a luz que tinha, e em cada foto que tirávamos, eu parecia uma santa iluminada ou uma lâmpada usando blusa, quando a neblina começou a aparecer então, eu sentia vontade de abraçar aquilo, de me jogar na neblina e deixar ela me levar pra um lugar não existente em Gramado onde tem chocolate e frutas à vontade enquanto eu estava deitada confortavelmente em uma nuvem grande, macia e com perfume de morango. Mas isso só ficou na minha imaginação mesmo.






No caminho de volta pra Caxias do Sul, fizemos uma parada na praça de Nova Petrópolis, que praticamente fica no caminho da viagem. A praça é encantadora, parece um jardim de um castelo de uma princesa que também não existe, fala sério, eu viajo demais! A praça é cheia de flores muito bem cuidadas, um lugar super agradável, não consigo imaginar alguém triste lá, só consigo imaginar pessoas desesperadas tentando encontrar a saída do labirinto de árvores que tem por lá. Não, eu não entrei o suficiente pra me perder, não sei porque fiz isso, estou arrependida, deveria ter ido mais a fundo.

Terminando a postagem, depois disso não teve muitas fotos mais, exceto por algumas fotos de pessoas que eu amo e moram lá no sul, os últimos momentos com minha irmã, com as minhas tias, com a família Baja em geral, que me receberam muito bem. Era só lembrar que não passei no vestibular, logo teria que ir embora, que eu começava a chorar incontrolavelmente, mas, a vida é feita de despedidas, momentos são feitos para ficarem na memória e sonhos são para ser conquistados. Tudo é questão de tempo.

E é assim que termino a provavelmente última postagem sobre a minha viagem ao sul, voltando à essa realidade chamada Aparecida do Taboado. Espero de mim que esse ano eu estude o suficiente pra passar na UFRGS, porque se não foi de primeira, vai que dá de segunda, certo?

Tenham um bom ano, pessoal! O meu acaba de começar. 
Beijos

15 de janeiro de 2015

Diário de viagem: Praia de Torres/RS












Oi gente! 
Que delícia poder postar aqui sem que isso tire de mim 3 horas da minha provável última noite em Caxias do Sul/RS, a viagem correu tão rápido que parece que foi ontem que entre em um ônibus com wifi e destino à minha irmã, e agora, estamos praticamente choradas aqui, sem nenhuma coragem de se despedir. 

Terça-feira o meu cunhado estava de folga do serviço dele, então, fomos à praia nós três, Laiali, Ângelo e eu. O caminho até Torres levaria em torno de 3 horas, mas a nossa viagem levou mais do que isso, quase 5 horas porque paramos pra comer pamonha, beber água de coco e caldo de cana, tirar algumas fotos e sentir a ponte mole balançar por baixo de nossos pés e acima de muitos pés de altura de  uma grande floresta do sul. 

Foi suuuuper legal! Sou meio suspeita pra falar porque eu adoro um pouco de adrenalina, então eu adorei ver a que altura nós estávamos, e tirar foto, e sentir a ponte balançar, e ouvir todos os carros que passavam dentro do túnel buzinar sem parar só pra ouvir o eco. Algumas coisas idiotas são as que trazem as melhores lembranças.

Quando chegamos à praia, eu parecia uma criança. Queria jogar minha bolsa que pesava uma tonelada pra trás e sair correndo até o mar enquanto tirava minha roupa pelo caminho. Foi... Uma... Delícia... Eu nem me lembro qual foi a última vez que tinha ido à uma praia, dava pra ver as ondas formando bolhas e ouvir o barulho do mar de longe.

Chegamos por volta das 13h, não almoçamos, a única coisa que a gente queria fazer era sentar e curtir a praia, as pessoas, o sol, o mar, então ficamos lá, das 13h às 15h, e lá, sentada na praia, sentindo o sol e lembrando de tudo que já aconteceu eu me dei conta de como era feliz. Mas depois o sol foi embora, de repente tudo era cinza, e então, começou a chover. 

Experimente krepe pela primeira vez, fomos ao fárol, paguei R$7,00 em uma água de coco e fui parada várias vezes por pessoas interessadas na minha tatuagem dourada no braço, me senti super hippie com tantos hippies perguntando com aquele jeito calmo, arrastado e empolgados sobre onde tinha feito essa tatuagem. Isso tudo graças a minha irmã que teve a maravilhosa ideia de comprar tatuagens temporárias na Riachuelo!

Bom, no final das contas, até que consegui pegar uma corzinha, e eu estou adorando esse visual saudável que adquiri nessas duas horas que passei no sol. É muito importante esfoliar a pele toda semanalmente, cuidar da hidratação e beber bastante água para que a pele não descasque e fique toda feia. Já estou cuidando de tudo isso, se minha pele começar com resultados negativos, vai ser puro azar, coisa que eu já estou acostumada a me dar hahaha

Então gente, é isso aí, esse foi o resumo do meu dia na praia. Espero que tenham gostado :) 
Até a próxima, beijinhos

14 de janeiro de 2015

Diário de viagem: Centro de Caxias do Sul e Museu da Casa de Pedra






Oi gente!
Eu deveria ter postado isso há dois dias, mas fui adiando porque estava muito cansada. Ultimamente os dias passam corridos porque minha viagem esta quase ao fim.

Nessa segunda-feira fomos ao centro minha irmã e eu. Saímos de casa às 10h e voltamos às 16:30h, cheguei em casa morta de cansaço, andamos e gastamos bastante. No final do dia meus pés choraram de dor. Aproveitamos e fomos ao Museu da Casa de Pedra, porém, estava fechado porque todos os museus fecham às segundas, pelo menos aqui em Caxias do Sul, rs. De noite fomos jantar no shopping São Pelegrino, Rejane, Laiali (minha irmã) e eu. É m shopping muito muito muito lindo, cheio de arte em todo lugar (primeira foto) e com um design muito chique! Fiquei encantada.







Tiramos algumas fotos do lado de fora do museu e hoje voltamos lá, já que hoje estaria aberto. A guia me apresentou o museu todo, não é grande, tem a sala, a cozinha (que já foi batedouro de suínos), e o quarto no andar de cima. Ela me explicou como a casa foi construída, contou que a casa é toda feita de basalto e que pelo menos três famílias moraram lá, contou as lendas, o que é mito, o que é verdade e disse que não posso ir embora de Caxias sem antes visitar a Igreja de São Pelegrino. #Anotado

Ontem fomos à praia e hoje fomos passear na UCS (Universidade de Caxias do Sul), minha irmã queria me levar ao zoologico e museu de lá, porém, ambos estavam fechados. Em compensação, o campus é lindo e conseguimos algumas fotos super legais, mas a praia e a UCS ficam para a próxima postagem, pra essa daqui não ficar grande demais =) 

Então, vejo vocês depois!
Beijo beijo <3

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...